Perto do jogo 100 pela base do Vitória, João Burse ganha placa, avalia conquistas e traça metas

Invicto e classificado antecipadamente para as quartas de final do Campeonato Baiano Sub-20, o Vitória encara o ABB, neste sábado, em Simões Filho, na penúltima rodada da fase de grupos. Sinal de um jogo sem grande importância para o Rubro-Negro? Não é bem assim, pelo menos para quem vai ficar na beira do gramado. O confronto marca o jogo de número 100 para o técnico João Burse na base do Vitória. Antes da partida, ele recebeu uma placa para comemorar a marca.

Paulista da cidade de Estiva Gerbi, o treinador de 36 anos está em sua segunda passagem pelo Vitória. Em 2015, ele se destacou ao conquistar a Copa do Brasil Sub-17 e, ainda naquele ano, foi para o Palmeiras. Em 2017, o treinador retornou para o Vitória, quando chegou a ter oportunidades no time principal. Nos 99 jogos à frente das equipes de base do clube, Burse acumula 69 triunfos e 19 empates, o que significa aproveitamento de 76%.

– É um motivo de alegria. Motivo de alegria porque saí do interior de São Paulo, fui visto no Mogi Mirim, fui campeão do Paulista Sub-20, depois chegar numa instituição referência na base, dessa grandeza que é o Vitória. Conseguir contribuir com o trabalho, com títulos nacionais, estaduais, e principalmente revelar atletas, que é nossa função, nos deixa lisonjeados. Esses 100 jogos são muito especiais. Tem uma história de muitos atletas que chegam no profissional, atletas que são vendidos como o exemplo do Lucas Ribeiro que foi para a Alemanha; atletas que vão conseguir ajudar a família financeiramente. Tudo isso contribui para nos deixar muito felizes e continuar se esforçando para que muitos outros venham e possam ajudar não só suas famílias, mas principalmente o clube na receita, e a torcida, consequentemente, ganhando títulos. Que eles possam se alegrar com isso – disse Burse em entrevista ao GloboEsporte.com.

João Burse recebe placa em comemoração aos 100 jogos pela base do Vitória  — Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória / Divulgação

João Burse recebe placa em comemoração aos 100 jogos pela base do Vitória — Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória / Divulgação

Pela base do Vitória, além da Copa do Brasil Sub-17, em 2015, João Burse conquistou também o Campeonato Baiano daquele ano. Em 2017, no seu retorno ao clube, foi campeão da Copa do Nordeste Sub-20, em cima do Bahia, em um elenco que contava, dentre outras peças, com Lucas Ribeiro (atualmente no Hoffenheim, da Alemanha) e Léo Gomes. Além dessas conquistas, Burse exalta o desenvolvimento dos jogadores aproveitados naquele ano.

– Os títulos nacionais que foram os principais, a Copa do Nordeste, a Copa do Brasil Sub-17. Uma geração 98 com o Geavane, Yan, Eron, Cedric, Farinha, Herbert, Luan. Atletas com alto nível. A Copa do Brasil foi em 2015. Teve também o Campeonato Baiano. Foi um ano fantástico e depois também esse time disputou a Copa BH, que acabou saindo invicto, perdeu nos pênaltis. Eliminamos o São Paulo, Atlético-PR, Santos e fomos eliminados nos pênaltis após 1 a 1. Tomamos o gol no final e empatamos com o Figueirense e perdemos nos pênaltis. Esse time perdeu um jogo só no ano todo, além de performar como equipe, também foi individualmente. A gente vê os atletas se dando bem. Em Portugal tem o Geovane, Eron no profissional do Vitória, Farinha, Herbert, o próprio Luan que foi vendido agora (na verdade, Luan foi emprestado ao Palmeiras). Todos esses atletas conquistaram não só títulos, mas também chegaram no profissional.

– A gente costuma dizer, na gíria do futebol, que a gente perde ganhando. Quando um atleta da base vai para o profissional, perdemos ganhando. Esses atletas estarem no profissional é o nosso maior objetivo. Nossa função é fazer com que outros atletas subam do juvenil, atletas que tenham potencial também possam dar respostas e novos possam surgir – diz João Burse.

João Burse também teve boa campanha no Campeonato Brasileiro de Aspirantes, em 2018, quando na primeira participação do Vitória, levou o time às semifinais. Contudo, o treinador não pôde acompanhar o último jogo do Rubro-Negro, diante do Internacional, porque estava à frente da equipe principal.

– Para mim foi muito complicado. Conseguimos chegar nas semifinais, vencemos o Inter lá, 2 a 1, e no jogo de volta não conseguir ser o treinador, nem durante a semana e nem durante o jogo (o Vitória foi batido na partida de volta por 3 a 1). Eu havia subido para o profissional, que é motivo de muito orgulho, mas infelizmente não consegui fazer aquele jogo de volta.

João Burse tem 76% de aproveitamento na base do Vitória  — Foto: Divulgação/EC Vitória

João Burse tem 76% de aproveitamento na base do Vitória — Foto: Divulgação/EC Vitória

A campanha no grupo principal, porém, não foi exitosa para João Burse como na divisão de base nas três oportunidades que teve. No fim do primeiro turno do Campeonato Brasileiro de 2018, ele assumiu o time interinamente após a demissão de Vagner Mancini e trabalhou em duas partidas, o empate em 1 a 1 com o Cruzeiro no Barradão e a goleada por 4 a 0 sofrida para o Grêmio, no Rio Grande do Sul. No final da competição, com a saída de Paulo Cézar Carpegiani, foi efetivado no comando com a missão de evitar o rebaixamento do Vitória, faltando seis rodadas para o fim da competição. Nas partidas disputadas, Burse acumulou três empates e três derrotas e não evitou a queda para a Segunda Divisão.

Burse teve nova oportunidade no time principal do Vitória em 2019, só que de uma maneira diferente. Em comandou o grupo sub-23 nos dois primeiros jogos das temporadas, enquanto o elenco profissional se preparava sob o comando do então técnico Marcelo Chamusca. Na ocasião, o Vitória empatou as duas partidas que disputou.

Apesar da experiência de resultados ruins, João Burse mantém como meta chegar ao time principal, desta vez por um período maior e assim com mais tempo para aplicar as duas ideias.

– Com certeza. Esse é o nosso objetivo. Nós, como profissionais, sempre queremos chegar no topo. No futebol, o profissional é o topo, então a gente continua trabalhando. Tivemos uma experiência fantástica, aprendemos. Teve erros, acertos que a gente ajusta e continua trabalhando para fazer merecer uma nova oportunidade.

Treinou traça retorno ao time profissional como meta — Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória / Divulgação

Treinou traça retorno ao time profissional como meta — Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória / Divulgação

Enquanto isso não acontece, João Burse segue com o time sub-20 no Campeonato Baiano. O técnico avaliou a boa campanha da equipe que, junto com o Vitória da Conquista, tem 100% de aproveitamento.

– A gente já se classificou para as quartas de final com duas rodadas de antecedência. 100% no campeonato, 18 gols marcados e não tomamos nenhum. É uma equipe que está solida e agora é concentrar para não tirar o pé e continue da mesma forma.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/ba/futebol/times/vitoria/noticia/perto-de-completar-100-jogos-na-base-do-vitoria-burse-avalia-conquistas-e-traca-metas.ghtml

Acesse a TVVIANET

Acesse Mais notícias aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.